sexta-feira, 22 de junho de 2012

PRECISAMOS UNS DOS OUTROS!

Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos “ (I Coríntios capítulo 12, verso 14).

Talvez no dia que realmente compreendermos que quando honramos o outro ser humano atraímos honra para nós, e quando ferimos, prejudicamos a nós mesmos – cedo ou tarde – nos livraríamos de boa parte dos nossos problemas, que são justamente conseqüências de mal pensar, mal sentir, mal falar e mal agir!
A “lei da semeadura e da colheita não é fábula”!
Essas coisas retornam como se o mundo fosse (e em certo sentido é) uma grande câmara de “eco”.
Gosto de chamar isso de “efeito bumerangue” – sabe aquele instrumento usado pelos australianos que se arremessa e ele retorna na direção de quem o disparou?
Fazer o bem e não desejar mal nem aos seus inimigos declarados, é mais que questão de fé e amor: é sabedoria!
É claro, alguns são “espíritos tão rasteiros”, que tal conquista não lhes é possível; os tais devem arrepender-se e pedir a Deus um coração capaz de perdoar e também reconhecedor de favores recebidos. Aliás, que virtude rara a gratidão!
Por isso é importante relacionamentos e conexões, sobretudo com pessoas saudáveis, ou, se enfermas, que aspirem a cura, almejem crescimento.
Caso eu leve uma topada e machuque o dedo, os estímulos nervosos perpassam por todo meu corpo, atingem o cérebro e minha boca provavelmente irá, gemer ou gritar, e meus olhos lacrimejar.
Quando dou uma arrumada no cabelo, ponho um terno ou se a irmã se adorna com jóias no pescoço ou orelhas, é o corpo todo que receberá o elogio com alegria.
As pessoas que ainda não atingiram essa consciência “crística” devem desejar e trabalhar isso em sua vida – lembra o que Jesus disse? Tive fome me destes de comer, sede me destes de beber, estava nu e me vestistes, preso e fostes ver-me?
O contrário é igualmente verdade: tive fome não me destes de comer, sede e não me destes de beber, nu e não me vestistes, estrangeiro e não me hospedastes...
É complicado, sobretudo em tempos como estes de tanta soberba e individualismo, entender que não somos uma unidade separada do todo!
Estamos conectados a tudo e a todos.
“O leão um dia percebendo que um belo e suculento rato passeava sobre seu corpo enquanto tirava uma soneca, de súbito colocou a enorme pata sobre o ratinho e abriu a boca, quando o coitado prestes a ser devorado gritou:
- Por misericórdia, me deixe viver e quem sabe, um dia posso retribuir este favor?
O grande rei-leão com brado altissonante redargúi:
- Eu? O rei da selva, necessitar de um ratinho como você?
- Quem sabe majestade? Diz o ratinho com simplicidade.
- Está bem: pode ir...
Passado muito tempo, o rei leão caiu numa rede armada por cruéis caçadores e cordas o suspenderam cativo.
Ele usou toda sua força, mas estava irremediavelmente perdido.
Mas o que?
Que ruído será esse nas cordas e rede?
Isso mesmo!
O agradecido ratinho se lembrou do favor recebido, roeu as cordas e a rede, libertando o rei leão".

Sim meus queridos amigos.
Precisamos uns dos outros...

Darckson Lira.

2 comentários:

  1. Deveras há pessoas que atingem um nível elevado, tanto no social, cultural e econômico. Até aí tudo bem, não há nisto pecado algum; muito pelo contrário, há méritos.(Glórias a Deus por isso).Agora o que se vê são pessoas alijando outras por conta do seu grau "elevado". Não sabem, ou não sabiam até lerem este seu texto, que até mesmo um leão pode precisar de um rato. Por outro lado há pessoas que podem e sabem fazer o bem e não o fazem,esquecendo-se ou não conhecendo os versos 9 e 10 de Gálatas capítulo 6. A humildade e a caridade jamais podem ser esquecidas, pois nossas atitudes de hoje é que irão determinar nosso amanhã. Encerro louvando a Deus por sua vida Rev. Darckson, por manter-se em humildade, mesmo sendo um destes que por méritos conseguiu destaque. A paz de Cristo1

    ResponderExcluir
  2. Muito grato nobre amigo, pelo testemunho de sua constatação.
    Sua amizade e carinho muito me honra!

    ResponderExcluir